Intermação e Insolação

Intermação é uma causa de hipertermia decorrente da dificuldade do corpo em se resfriar adequadamente num ambiente com calor excessivo. É uma emergência clínica com alto risco de morte. O diagnóstico e, consequentemente, o início do tratamento precoce podem melhorar o prognóstico.

Pode estar relacionada ou não a atividade física. Esta última é conhecida como forma clássica e geralmente afeta pacientes com condições médicas que impeçam o resfriamento e desta forma, não há mecanismo de proteção ao calor do ambiente. Pode ocorrer, por exemplo, em recém-nascidos ou em idosos, ou em pacientes com distúrbios neurológicos, mentais ou cardiopulmonares graves.

Insolação: é um mal estar decorrente da exposição prolongada ao sol intenso ou ao calor. Os sintomas mais frequentes são:

Temperatura corporal excessivamente alta (acima dos 39,5°C)
Pele vermelha, quente e seca
Pulsação acelerada
Cefaleia
Apneia
Vertigem
Náusea
Vômito
Desidratação
Confusão
Inconsciência

Embora nosso organismo tenha na sudorese um mecanismo de defesa contra a febre (devido à evaporação do suor provocar perda de calor e consequente redução da temperatura corporal), quando ocorre insolação a temperatura corporal aumenta rapidamente e o mecanismo da transpiração falha, portanto o corpo fica incapacitado de se resfriar.

Algumas medidas devem ser realizadas com um indivíduo que está com insolação, como:

* Colocar a pessoa em local fresco e arejado;

* Deitá-la com a cabeça elevada;

* Colocar compressas frias sobre a cabeça do indivíduo e toalhas molhadas envolta do corpo;

* Fazer com que a vítima beba muito líquido para não desidratar;

* Encaminhá-la ao médico o mais rápido possível.

Para prevenir a insolação, deve-se evitar a exposição demasiada aos raios solares, especialmente entre as 10h às 16h, evitar a prática de atividades físicas no sol, usar roupas adequados e ingerir bastante líquido.